Pular para o conteúdo
Início » Dicionário » B » Belém

Belém: Dicionário Bíblico e versículos na Bíblia

Casa do pão, ou lugar de comidal. Belém, que primitivamente se chamou Efrata, era uma das mais antigas cidades da Palestina (Gênesis 35.19). O seu nome atual é Beit-Lahm. Situada à distância de 10 quilômetros ao sul de Jerusalém, a cidade está em magnífica posição, pois que se acha numa eminência de 600 metros acima do nível do mar, cercando-a montes e fertilíssimos vales, perto da principal estrada que vai da cidade Santa a Hebrom (Rute 2Salmos 65.12,13).

Não tem água, a não ser a que guardam em cisternas, proveniente das chuvas, e a que vem das Fontes de Salomão por meio de um aqueduto. Nenhuma localidade da Palestina tem recordações mais interessantes.

Todavia, não se compreende que esta povoação, terra natal de Davi e do ‘Filho de Davi’, sendo também teatro de numerosos e importantes acontecimentos, tenha permanecido na obscuridade durante a sua longa existência.

O seu nome mais antigo de Efrata ocorre na história de Jacó. Raquel foi sepultada perto deste lugar. Salma, um neto de Calebe, é chamado o ‘pai dos belemitas’ em 1 Crônicas 2.51,54. Mais tarde esteve em estreita relação com o país de Moabe, continuando essa amizade até ao tempo de Saul (1 Samuel 22.3,4).

A vida de Rute familiariza-nos com o seu povo e a sua maneira de viver. Embora Davi tivesse nascido em Belém, a cidade não ganhou coisa alguma nesta conexão com o grande rei, que não edificou ali nenhum monumento, nem a pôs em estado superior às outras cidades do reino.

Todavia, quando oprimido terrivelmente por adversários, o seu maior desejo foi beber um pouco de água do velho poço (2 Samuel 23.15). Este lugar foi mais de uma vez fortificado. Os filisteus tiveram lá uma guarnição (2 Samuel 23.14), e mais tarde é Roboão considerado como tendo edificado Belém (2 Crônicas 11.6): isto quer dizer que Belém foi uma das cidades que ele fortificou para defender a sua posição em Jerusalém.

Pelo livro de Esdras 2.21 sabemos que cento e vinte e três homens de Belém voltaram do cativeiro com Zorobabel (Neemias 7.26). Não diferia esta estalagem materialmente das outras da Palestina, mas tornou-se notável por ser o ponto de partida de quem fazia a grande e penosa viagem para o Egito (Jeremias 41.17).

Foi nesta estalagem, já fora das portas da obscura terra de Belém, que ocorreu o mais memorável acontecimento da história do mundo, em conformidade com a profecia de Miquéias 5.2. Nasceu o Salvador do mundo, não numa cidade, nem mesmo na hospedaria, mas no estábulo da estalagem.

Foi daqui, também, que começou a fuga para o Egito, a fim de ser salva a vida do menino Jesus (Mateus 2.1 a 15Lucas 2.4 a 15João 7.42). A subsequente história de Belém, com uma ou duas exceções, é tão obscura como a passada.

O imperador de Roma, Adriano, plantou um bosque idolátrico no sítio da natividade – mais tarde a imperatriz Helena edificou uma igreja no mesmo lugar, templo que ainda hoje ali está. Este templo acha-se circundado por três conventos, pertencentes às igrejas grega, romana e armênia.

No século Si foi Belém conquistada aos turcos pelos cruzados, sendo estabelecida uma sede episcopal. 2. Cidade de Zebulom, mencionada somente em Josué 19.15. Está à distância de nove quilômetros ao ocidente de Nazaré e chama-se Bet-Lahm, como a sua famosa homônima.

Belém – Dicionário Bíblico de Easton

Belém

Casa do pão.

  • Uma cidade na “região montanhosa” de Judá. Era originalmente chamada Efrata (Gênesis 35.16; Gênesis 35.19; Gênesis 48.7; Rute 4.11). Também era chamada Belém-Efrata (Miquéias 5.2), Belém-Judá (1 Samuel 17.12) e “a cidade de Davi” (Lucas 2.4). É mencionada pela primeira vez nas Escrituras como o local onde Raquel morreu e foi enterrada “à beira do caminho”, diretamente ao norte da cidade (Gênesis 48.7). O vale a leste foi cenário da história de Rute, a moabita. Ali estão os campos em que ela colheu e o caminho pelo qual ela e Noemi retornaram à cidade. Aqui nasceu Davi, e aqui também, anos mais tarde, ele foi ungido como rei por Samuel (1 Samuel 16:4-13); e foi do poço de Belém que três de seus heróis trouxeram água para ele, arriscando suas vidas quando ele estava na caverna de Adulão (2 Samuel 23.13-17). Mas foi distinguida acima de todas as outras cidades como o local de nascimento de “Aquele cujas origens são desde os tempos antigos” (Mateus 2.6; compare com Miquéias 5.2). Depois Herodes, “quando viu que fora enganado pelos magos”, enviou e matou “todas as crianças que estavam em Belém e em todos os seus arredores, de dois anos para baixo” (Mateus 2.16; Mateus 2.18; Jeremias 31.15).

    Belém leva o nome moderno de Beit-Lahm, ou seja, “casa da carne”. Fica a cerca de 8 km ao sul de Jerusalém, a uma altitude de aproximadamente 775 metros acima do mar, portanto 30 metros mais alta que Jerusalém.

    Há uma igreja ainda existente, construída por Constantino, o Grande (A.D. 330), chamada “Igreja da Natividade”, sobre uma gruta ou caverna chamada de “cripta sagrada”, e dita ser o “estábulo” onde Jesus nasceu.

    Esta é talvez a igreja cristã mais antiga do mundo ainda existente. Ao lado dela há outra gruta, onde se diz que Jerônimo, o padre latino, passou trinta anos de sua vida traduzindo as Escrituras para o latim.

  • Uma cidade de Zebulom, mencionada apenas em Josué 19.15. Agora Beit-Lahm, uma aldeia em ruínas a cerca de 10 km a oeste-noroeste de Nazaré.

Easton, Matthew George. “Entrada para Belém”. “Dicionário Bíblico de Easton”.

Belém – Dicionário Bíblico de Smith

Belém

(casa do pão).

  1. Uma das cidades mais antigas da Palestina, já existente na época do retorno de Jacó ao país. Seu nome mais antigo era EFRATA ou EFRATAH. Gênesis 35.16; Gênesis 35.19; Gênesis 48.7 Após a conquista, Belém aparece sob seu próprio nome, BELÉM-JUDÁ.

    Juízes 17.7; 1 Samuel 17.12; Rute 1.1; Rute 1.2 O livro de Rute é uma página da história doméstica de Belém. Foi o lar de Rute, Rute 1.19, e de Davi, 1 Samuel 17.12. Foi fortificada por Roboão, 2 Crônicas 11.6.

    Foi aqui que nosso Senhor nasceu, Mateus 2.1, e aqui que foi visitado pelos pastores, Lucas 2.15-17, e pelos Magos. Mateus 2 A cidade moderna de Beit-lahm fica a leste da estrada principal de Jerusalém para Hebron, seis milhas da primeira.

    Ela cobre as partes leste e nordeste do cume de uma longa colina cinzenta de calcário Jura, que está quase de leste a oeste e tem cerca de um quilômetro de comprimento. A colina tem um vale profundo ao norte e outro ao sul.

    No topo fica a vila em uma espécie de triângulo irregular. A população é de cerca de 3000 almas, inteiramente cristãs. A Igreja da Natividade, construída pela imperatriz Helena em 330 d. C., é a igreja cristã mais antiga existente. É construída sobre a gruta onde Cristo se supõe ter nascido.
  2. Uma cidade na porção de Zebulom, mencionada apenas em Josué 19.15. Agora conhecida como Beit-lahm.

Smith, William, Dr. “Entrada para ‘Belém'”. “Dicionário da Bíblia de Smith”. 1901.

Belém – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Belém

Belém (bethlechem; Baithleem, ou Bethleem, “casa de Davi”, ou possivelmente “a casa de Lakhmu”, uma divindade assíria):

I. Belém de Judá:

Belém de Judá, ou EFRATA ou EFRATA (que veja) é agora Beit Lahm (árabe = “casa de carne”), uma cidade com mais de 10.000 habitantes – Josué 5 milhas ao sul de Jerusalém – Josué 2.350 pés acima do nível do mar. Ocupa uma posição destacada em um esporão que se estende para o leste a partir da linha divisória de águas com vales profundos para o nordeste e sul.

Está fora da estrada principal para Hebrom e o sul, mas na estrada principal para Tequoa e En-Gedi. A posição é uma de força natural; foi ocupada por uma guarnição dos filisteus nos dias de Davi (2 Samuel 23.14; 1 Crônicas 11.16) e foi fortificada por Roboão (2 Crônicas 11.6).

O campo ao redor é fértil, campos de trigo, figueiras, olivais e vinhas são abundantes. Belém não é naturalmente bem abastecida com água, a fonte mais próxima está a 800 jardas a sudeste, mas por muitos séculos o “aqueduto de baixo nível” das “Piscinas de Salomão” no vale de ArTas, que aqui foi tunelado através da colina, tem sido explorado pelos habitantes; também existem muitas cisternas cavadas na rocha.

1. História Antiga:

Em 1 Crônicas 2.51, Salma, filho de Calebe, é descrito como o “pai de Belém”. Em Gênesis 35.1Gênesis 48.7 está registrado que Raquel “foi sepultada no caminho de Efrata (a mesma é Belém)”. A tradição aponta o local do túmulo de Raquel perto de onde a estrada para Belém deixa a estrada principal.

Os levitas dos eventos de Juízes 17 Juízes 19 eram de Belém. Na lista das cidades de Judá, o nome Belém ocorre, apenas na versão dos Setenta em Josué 15.57.

2. Davi, o Belemita:

Rute, famosa principalmente como a ancestral de Davi e do Messias, estabeleceu-se em Belém com seu segundo marido Boaz, e é notável que de sua nova casa ela poderia ver as montanhas de Moabe, sua terra natal.

Davi mesmo “era filho daquele efrateu de Belém-judá, cujo nome era Jessé” (1 Samuel 17.12). Até Belém veio Samuel para ungir um sucessor para o indigno Saul (1 Samuel 16.4):

“Davi ia e voltava de Saul para apascentar as ovelhas de seu pai em Belém” (1 Samuel 17.15). Os “três valentes” de Davi “romperam pelo acampamento dos filisteus, e tiraram água do poço de Belém, que estava junto ao portão, e a levaram a Davi” (2 Samuel 23.14,16).

A tradição ainda aponta o poço. Desta cidade vieram aqueles famosos “filhos de Zeruia”, sobrinhos de Davi, cuja lealdade e cuja crueldade implacável se tornaram ao mesmo tempo uma proteção e uma ameaça ao seu parente real: em 2 Samuel 2.32 é mencionado que um deles, Asael, foi sepultado “no sepulcro de seu pai, que estava em Belém”.

3. História Bíblica Posterior:

Após o tempo de Davi, Belém parece ter caído na insignificância. Mas sua futura fama é apontada por Miquéias (Miquéias 5.2):

“Mas tu, Belém Efrata, sendo pequena entre os milhares de Judá, de ti sairá para mim o que será governante em Israel; cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.”

No retorno dos judeus cativos, belemitas reinabitaram o lugar (Esdras 2.21; Neemias 7.26 “homens”; 1 Esdras 5:17 “filhos”).

4. Era Cristã:

No Novo Testamento, Belém é mencionada como o local de nascimento do Messias Jesus (Mateus 2.1,5; Lucas 2.4,25), em consequência do qual ocorreu o “massacre dos inocentes” de Herodes (Mateus 2.8,16). Uma vez que Adriano devastou Belém e lá estabeleceu um bosque sagrado para Adônis (Jerônimo, Ep. ad Paul, lviii.3), é claro que a veneração deste local como o local do Nascimento deve remontar antes de 132 d.

C. Constantino (cerca de 330) fundou uma basílica sobre a gruta-estábulo que a tradição apontou como o cenário do nascimento, e sua igreja, inalterada na estrutura geral embora ampliada por Justiniano e frequentemente adornada, reparada e danificada, permanece hoje a principal atração da cidade.

Durante as Cruzadas, Belém ganhou grande importância e prosperidade; permaneceu em mãos cristãs após a queda do reino latino, e hoje em dia é, em termos materiais, um dos centros cristãos mais prósperos na Terra Santa.

II. Belém de Zebulom:

Belém de Zebulom (Josué 19.15) foi provavelmente o lar de Ibsã (Juízes 12.8), embora a tradição judaica apoie (1). Esta é agora a pequena aldeia de Beit Lahm, cerca de 7 milhas a noroeste de Nazaré na borda da floresta de carvalhos.

Algumas antiguidades foram encontradas aqui recentemente, mostrando que em tempos anteriores era um lugar de alguma importância. Agora é o local de uma pequena colônia alemã.

E. W. G. Masterman