Início Dicionário B Barba

Barba: Dicionário Bíblico e versículos na Bíblia

7 min de leitura

Entre os judeus, e de modo geralno oriente, sempre foi atribuída grande importância à barba, como sinal de excelsa civilidade – e para o homem não havia maior ofensa do que tratá-la alguém com indignidade.

Tocar-lhe alguém com a mão, mostrando desprezo, era grande insulto (1 Crônicas 19.42 Samuel 10.4,52 Samuel 20.9). Ao mesmo tempo era objeto de saudação, o chegar a barba aos lábios e beijá-la, quando qualquer pessoa queria manifestar simpatia a outra.

A não ser os egípcios (Gênesis 41.14ì, que honravam os mortos deixando crescer a barba, o rapá-la ou arrancá-la era manifestação de luto ou de dor (2 Samuel 19.24Esdras 9.3Isaías 15.2Jeremias 41.5Jeremias 48.37). Quando se queria assegurar a alguém a sua boa fé e honrosa conduta, era ação vulgar jurar pela sua barba.

Os árabes ainda hoje juram solenemente pela sua barba e, quando precisam honrar de uma maneira particular um amigo, exclamam: ‘Conserve Deus a vossa abençoada barba.’ A idéia de ar varonil, de respeitabilidade, em relação com grandes barbas, é ilustrada pela lei judaica, que proibia o cortá-las à maneira dos egípcios (Levítico 19.27 – e Salmos 133.2).

Diferentemente das nações circunvizinhas, os egípcios rapavam a cara, à exceção da parte inferior do rosto, onde se permitia haver um molho de cabelos, que se conservava bem cuidado. Algumas vezes, em lugar do seu próprio cabelo, usavam barba postiça, trançada, com formas diferentes, segundo a categoria do indivíduo.

Alguma coisa havia de significação cerimonial no corte da barba judaica, segundo o que pode depreender-se de Levítico 19.27Levítico 21.5. O cuidado da barba era objeto de primeira consideração da parte de pessoas distintas (Salmos 133.2) – quando mal cuidada, era coisa ridícula e desprezível.

Os leprosos, ou indivíduos sujeitos à lepra, eram barbeados, ou para trazerem a pele descoberta, ou por causa da limpeza (Levítico 14.9). Figuradamente, há referência na Bíblia às ‘barbas’ do povo de Deus falando-se da sua honra e dignidade, barbas que talvez o Senhor havia de cortar com a navalha do rei da Assíria (Isaías 7.20).

Barba – Dicionário Bíblico de Easton

Barba

A maneira de usá-la foi definitivamente prescrita aos judeus (Levítico 19.2Levítico 21.5). Daí a importância da descrição de Ezequiel da “navalha”, isto é, os agentes de uma providência irada sendo usados contra a nação culpada dos judeus (Ezequiel 5.1-4).

Apoie Nosso Trabalho

Faça agora uma contribuição para que possamos continuar espalhando a palavra de Deus. Clique no botão abaixo:

Era parte do cotidiano de um judeu ungir sua barba com óleo e perfume (Salmos 133.2). As barbas eram aparadas com o mais meticuloso cuidado (2 Samuel 19.24), e o seu descuido era um indício de profunda tristeza (Isaías 15.2; Jeremias 41.5).

O costume era raspar ou arrancar os cabelos como sinal de luto (Isaías 50.6; Jeremias 48.37; Esdras 9.3). As barbas dos embaixadores de Davi foram cortadas por Hanum (2 Samuel 10.4) como uma marca de indignidade.

Por outro lado, os egípcios cuidadosamente raspavam os cabelos de seus rostos, e eles obrigavam seus escravos a fazerem o mesmo (Gênesis 41.14).

Easton, Matthew George. “Entrada para Barba”. “Dicionário Bíblico de Easton”.

Barba – Dicionário Bíblico de Smith

Barba.

Os asiáticos ocidentais sempre valorizaram a barba como insígnia da dignidade da masculinidade e lhe atribuíram a importância de um traço distintivo. Os egípcios, ao contrário, na maioria das vezes raspavam os pelos do rosto e da cabeça, embora encontremos algumas exceções.

A barba é objeto de juramento e aquilo sobre o qual se fala que repousa a bênção ou a vergonha. O costume era e é raspar ou arrancar a barba e os cabelos em luto, (Esdras 9.3; Isaías 15Isaías 50.6; Jeremias 41Jeremias 48.37) Baruc 6:31; negligenciá-la em tempos de aflição permanente, (2 Samuel 19.24) e considerar qualquer insulto a ela como o último ultraje que a inimizade pode infligir. (2 Samuel 10.4) A barba era objeto de saudação. (2 Samuel 20.9) O cuidado, aparar, ungir, etc., da barba era realizado com muita cerimônia por pessoas de riqueza e posição (Salmos 133.2) A remoção da barba fazia parte do tratamento cerimonial próprio a um leproso. (Levítico 14.9)

Smith, William, Dr. “Entrada para ‘Barba’”. “Dicionário Bíblico de Smith”. 1901.

Barba – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Barba

(1) Os semitas ocidentais em geral, de acordo com os monumentos, usavam barbas cheias e redondas, às quais evidentemente dedicavam grande cuidado. Os nômades do deserto, em contraste com os semitas sedentários, usavam uma barba aparada e pontuda: “Todos que têm as extremidades do cabelo cortadas, que habitam no deserto”; e compare 25:2 – Levítico 49.32, etc.).

(2) Barbas longas são encontradas em monumentos e esculturas assírias e babilônicas como um sinal da mais alta aristocracia (compare com monumentos egípcios, especialmente representações por W. Max Muller, Asien und Europa – Levítico 140).

Não está claro se isso era assim também com os judeus. No entanto, é significativo que o “ancião” hebraico (zaqen) parece ter recebido seu nome de sua longa barba (compare bene barbatus).

(3) A visão de alguns de que era costume entre os hebreus raspar o lábio superior é considerada pelas melhores autoridades como sem fundamento. O bigode (hebraico sapham, “barba”), de acordo com 2 Samuel 19.24, recebia “aparos” regulares (assim Versões Inglesas da Bíblia após a Vulgata, mas o hebraico é genérico, não específico: “Ele nem havia tratado dos seus pés, nem aparado sua barba”).

(4) Em um caso, a negligência da barba é apontada como um sinal de loucura: “(Ele) deixou sua saliva cair sobre sua barba. Então disse Achish, …. Vejam, o homem está louco.” (1 Samuel 21.13,14)

(5) Era um costume comum semita cortar tanto o cabelo quanto a barba como um sinal de luto ou angústia. Isaías 15.2, descrevendo os pagãos que “subiram aos lugares altos para chorar”, diz “Moabe lamenta sobre Nebo e sobre Medeba; em todas as cabeças há calvície, toda barba é cortada.” Jeremias, descrevendo o luto dos homens de Samaria pelo governador assassinado, Gedalias, diz, “Vieram homens de ….

Samaria (seus súditos enlutados), até oitenta homens, com as barbas raspadas e as roupas rasgadas,” etc. E Amós, em sua profecia da visão da “cesta de frutas de verão” (Amós 8.1), faz Yahweh dizer a Seu povo: “Transformarei suas festas em luto; ….

colocarei saco sobre todos os lombos e calvície sobre toda cabeça” (Amós 8.10). Por outro lado, era ainda mais significativo de grande aflição ou medo deixar a barba sem aparar, como fez Mefibosete, o filho de Saul, quando foi ao encontro do Rei Davi, na crise de sua falha culpada em não subir com o rei conforme sua expectativa: “Ele não tinha tratado dos pés, nem aparado a barba, nem lavado as roupas, desde o dia em que o rei partiu até o dia em que voltou em paz.” (Compare 1 Samuel 21.13,14; 2 Samuel 19.24.)

(6) O cabelo de Absalão era cortado apenas uma vez por ano, pelo que parece (2 Samuel 14.26; compare regras para sacerdotes, levitas, etc., Ezequiel 44.20). Mas os homens daquela época geralmente usavam cabelos mais compridos do que é costumeiro ou apropriado para nós (de Cânticos 5:2,11, “Suas mechas são onduladas, negras como um corvo”).

Mais tarde, nos tempos do Novo Testamento, era uma vergonha para um homem usar cabelos compridos (1 Coríntios 11.6-15). Mutilar a barba de outro era considerado uma grande indignidade (veja 2 Samuel 10.4; compare Isaías 50.6, “arrancaram-me os cabelos”).

O ato de raspar a cabeça de uma escrava cativa que ia se casar com seu captor marcava sua mudança de condição e perspectivas (Deuteronômio 21.12; W. R. Smith, Kinship – Deuteronômio 209).

LITERATURA.

Wilkinson, Ancient Egyptians, II – Deuteronômio 324 349; Herod. i.195; ii.36; iii.12; Josephus, Antiguidades, VIII, viii – Deuteronômio 3 XVI, viii – Deuteronômio 1 W. R. Smith, Kinship – Deuteronômio 209 RS – Deuteronômio 324 Wellhausen, Skizzen, III – Deuteronômio 167

Apoie Nosso Trabalho

Faça agora uma contribuição para que possamos continuar espalhando a palavra de Deus. Clique no botão abaixo:

George B. Eager

Orr, James, M.A., D.D. Editor Geral. “Entrada para ‘BARBA’”. “Enciclopédia Bíblica Internacional Padrão”. 1915.

Apoie Nosso Trabalho

Faça agora uma contribuição para que possamos continuar espalhando a palavra de Deus. Clique no botão abaixo:

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Artigos Relacionados