Início Dicionário V Vestuário

Vestuário na Bíblia. Significado e Versículos sobre Vestuário

7 min de leitura

O mais antigo vestuário foi feito de folhas de figueira, cosidas de maneira a formar uma cinta (Gênesis 3.7) – depois foram usadas as peles, A vestidura de Elias era feita de pele de ovelha ou de algum outro animal, não sendo tirada a 1ã (2 Reis 1.8).

A arte de tecer os pêlos dos animais era conhecida dos hebreus desde tempos muito afastados (Êxodo 26.7Êxodo 35.6) – o saco penitencial, usado em ocasiões de tristeza, era feito de pêlo de cabra preta. O vestuário de João Batista era de pêlos de camelo (Mateus 3.4).

Em todos os tempos foi a 1ã muito empregada, particularmente nas vestes exteriores (João 31.20 – Provérbios 27.26 – Provérbios 31.13). O linho fino era usado nas vestes dos principais sacerdotes (Êxodo 28.5), e dele também faziam uso as classes ricas (Gênesis 41.42 – Provérbios 31.22 – Lucas 16.19).

Muito mais tarde é que foi introduzido o uso da seda (Apocalipse 18.12). Era proibido pela Lei usar qualquer fazenda onde houvesse mistura de 1ã e linho (Levítico 19.19Deuteronômio 22.11), provavelmente com o fim de fortalecer a idéia de pureza e simplicidade.

A cor geral do vestuário dos hebreus era o branco natural, realçado em alguns casos pela arte do lavandeiro. A referência ao fio encarnado (Gênesis 38.28) faz supor que já se conhecia nesse tempo a arte de tingir.

Os hebreus aprenderam com os egípcios vários métodos de produzir estofos, embelezados com o emprego de fios coloridos (Êxodo 35.25), fazendo uso de filigrana de ouro (Êxodo 28.6), e pondo figuras no tecido (Êxodo 26.1,31Êxodo 36.8,35).

Os vestidos, confeccionados com fios de ouro (Salmos 45.13), e, em tempos posteriores, com fios de prata, eram usados pelas pessoas reais – quanto aos ricos, os seus vestidos eram feitos com outras espécies de bordados (Juízes 5.30 – S145.14 – Ezequiel 16.13).

Vestimentas tingidas eram importadas de países estrangeiros (Sofonias 1.8) – a púrpura e o escarlate eram, em certas ocasiões, usados pelas pessoas luxuosas (Provérbios 31.22 – Lucas 16.192 Samuel 1 24). O árabe moderno veste-se do mesmo modo que o antigo hebreu, com vestidos igualmente flutuantes.

Há um vestido de fora, quente e pesado, e outro interior, de fazenda leve. Havia certa semelhança entre os vestidos dos homens e os das mulheres, embora com diferença suficiente para indicar o sexo: ‘A mulher não usará roupa de homem, nem o homem veste peculiar à mulher’ (Deuteronômio 22.5).

Necessário artigo de vestuário era aquele que se assemelha à nossa camisa, feito de 1ã, algodão ou linho, e cingido ao corpo com um cinto. Quando qualquer pessoa aparecia vestida somente com essa roupa, dizia-se que estava nua (1 Samuel 19.24 – João 22.6 – Isaías 20.2Isaías 58.7João 21.7Tiago 2.15).

Sobre essa espécie de túnica vestia-se outra, mais comprida que a primeira. O vulgar vestido exterior constava de uma peça quadrangular do pano de 1ã. Envolvia todo o corpo, ou punha-se sobre os ombros, como um chale, ou ainda o podiam lançar sobre a cabeça para ocultar a face (2 Samuel 15.30Ester 6.12).

As mulheres usavam, como os homens, a mesma espécie de camisa, mas os seus vestidos exteriores eram diferentes, compreendendo também uma espécie de chale e um véu – e terminavam eles numa ampla franja que escondia os pés (Isaías 47.2Jeremias 13.22).

O vestido exterior dos hebreus era, também, utilizado como roupa de cama – e por isso um credor não o podia conservar em seu poder, depois do sol posto (Êxodo 22.26Deuteronômio 24.12,13). O costume de empenhar os vestidos parece ter sido muito comum.

As vestes largas, flutuantes, dos hebreus davam lugar a uma variedade de ações simbólicas: quando as rasgavam, era esse gesto expressivo de várias emoções, como o desgosto (Gênesis 37.29,342 Samuel 1.2João 1.20), o medo (1 Reis 21.272 Reis 22.11,19), a indignação (2 Reis 5.72 Reis 11.14Mateus 26.65), o desespero (Juízes 11.35Ester 4.1).

Geralmente, apenas a vestidura exterior é que era rasgada (Gênesis 37.34João 1.20João 2.12) – mas, em certos casos, a interior (2 Samuel 15.32) – eem outras ocasiões tanto uma como outra (Esdras 9.3Mateus 26.65). Sacudir os vestidos, ou o pó, era sinal de rejeição (Atos 18.6) – estendendo-os diante de uma pessoa, esse ato significava lealdade e recepção alegre (2 Reis 9.13Mateus 21.8), envolvendo com eles o rosto manifestava-se temor (1 Reis 19.13), ou dor (2 Samuel 15.30Ester 6.12Jeremias 14.3,4) – arrojando-os de si era indício de excitação (Atos 22.23) – e segurando-os, queria dizer súplica (1 Samuel 15.27Isaías 3.6Isaías 4.1Zacarias 8.23).

Durante as viagens, os vestidos exteriores eram cingidos (1 Reis 18.46), e lançados fora quando embaraçavam os movimentos do corpo (Marcos 10.50João 13.4Atos 7.58). A expressão ‘tens roupa’ (Isaías 3.6) indicava abastança, porque as mudanças de roupa constituíam um dos muitos elementos de riqueza (João 27.16 – Mateus 6.29Tiago 5.2).

As mulheres da casa faziam os vestidos (Provérbios 31.22 – Atos 9.39) sendo certo que, em virtude da grande simplicidade do corte, não era preciso grande arte para os confeccionar. O profeta Isaías (3.16) refere-se à extravagância no vestuário, e também Jeremias 4.30Ezequiel 16.10Sofonias 1.81 Timóteo 2.91 Pedro 3.3.

Vestuário – Dicionário Bíblico de Easton

Vestuário

No Antigo Testamento, a distinção entre trajes masculinos e femininos não era muito marcada. O estatuto que proibia os homens de usarem vestuário feminino (Deuteronômio 22.5) referia-se especialmente a ornamentos e adereços de cabeça.

Tanto homens quanto mulheres usavam (1) uma peça de roupa interior ou túnica, que era atada por um cinto. Quem tinha apenas esta túnica era considerado “nu” (1 Samuel 19.24; João 24.10; Isaías 20.2). Aqueles em posições elevadas às vezes usavam duas túnicas, sendo a exterior chamada de “veste superior” (1 Samuel 15.21 Samuel 18.41 Samuel 24.5; João 1.20).

Usavam em comum uma sobre-veste (“manto”, Isaías 3.22; 1 Reis 19.13; 2 Reis 2.13), uma túnica solta e fluida. As dobras deste manto superior podiam ser formadas em um colo (Rute 3.15; Salmos 79.12; Provérbios 17.23; Lucas 6.38).

Generais de exércitos geralmente usavam roupas escarlates (Juízes 8.26; Naum 2.3). Uma forma de vestimenta vistosa é mencionada em Lucas 20.46; compare Mateus 23.5.

Sacerdotes sozinhos usavam calças. Tanto homens quanto mulheres usavam turbantes. Reis e nobres geralmente tinham um estoque de roupas caras para ocasiões festivas (Isaías 3.22; Zacarias 3.4) e para presentes (Gênesis 45.22; Ester 4.4; Ester 6.8; Ester 6.11; 1 Samuel 18.4; 2 Reis 5.5; 1 Samuel 10.22).

Profetas e ascetas usavam roupas grosseiras (Isaías 20.2; Zacarias 13.4; Mateus 3.4).

Easton, Matthew George. “Entrada para Vestuário”. “Dicionário da Bíblia de Easton”.

Vestuário – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Vestuário

O equivalente em inglês de seis palavras hebraicas e três gregas, significando variadamente todos os tipos de vestimentas, principalmente roupas custosas e belas: ornamentais (2 Samuel 1.24); reais, como de Assuero (Ester 6.8), de Herodes (Atos 12.21), esthes; das filhas dos reis (2 Samuel 13:18); sacerdotais (Esdras 3.10); também luto (2 Samuel 14.2).

Em 1 Samuel 17.38,39 “vestuário” substitui “armadura” da Versão Rei Jaime: “Saul vestiu Davi com seu vestuário”, provavelmente alguma peça de roupa justa usada sob a armadura ou às vezes sem ela. Julgamento severo foi pronunciado sobre príncipes judeus que se vestiam com “estranho” (na Versão Rei Jaime), isto é, “com vestuário estrangeiro” (Zacarias 1.8; compare Isaías 2.6-8). “Vestuário modesto” em contraste com “roupas custosas” é recomendado como adequado para cristãos (1 Timóteo 2.9; himatismos, e katastole).

Anjos são vestidos com vestuário branco (Atos 1.10; compare Lucas 24.4, “deslumbrante”). Fig. do glorioso e vermelho (sugestivo da prensa de vinho) vestuário do Messias (Isaías 63.1,2), e de “um espírito manso e tranquilo” (1 Pedro 3.4).

Dwight M. Pratt

Orr, James, M.A., D.D. Editor Geral. “Entrada para ‘VESTUÁRIO’”. “Enciclopédia Bíblica Padrão Internacional”. 1915.

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Artigos Relacionados