Início Dicionário E Espirito santo, paracleto

Espirito santo, paracleto na Bíblia. Significado e Versículos sobre Espirito santo, paracleto

4 min de leitura

O Espírito Santo, a terceira Pessoa da Trindade, é, nas Sagradas Escrituras, denominado ‘o Espirito’, ‘o Santo Espírito’, ‘o Espírito de Deus’, ‘o Espirito do Filho de Deus’, e o ‘Consolador’. Na criação o Espírito pairava por sobre as águas (Gênesis 1.2 – João 26.13) – foi dado a certos homens para realizarem a sua obra: Bezalel (Êxodo 31.2,3), Josué (Números 27.18), Gideão (Juízes 6.34), Jefté (Juízes 11.29), Saul (1 Samuel 11.6), Davi (1 Samuel 16.13) – foi especialmente manifesto nos profetas (Ezequiel 11.5Zacarias 7.12), foi dado para luz dos homens (Provérbios 1.23), prometido ao Messias (Isaías 11.2Isaías 42.1), e a ‘toda a carne’ (Joel 2.28).

No N. T. O Espirito Santo se manifesta no batismo de Jesus (Mateus 3.16Marcos 1.10), e na tentação (Mateus 4.1Marcos 1.12Lucas 4.1) – imediatamente depois da tentação (Lucas 4.14) – e na ocasião em que Jesus, falando em Nazaré, recorda a promessa messiânica de Isaías 61.12 – (cp. Com 42.1 a 4).

Do mesmo modo fala o Santo Espírito ao velho Simeão dirigindo-o nos seus passos e pensamentos (Lucas 2.25 a 27). O dom do Espírito Santo é, de uma maneira determinada, prometido pelo nosso Salvador (Lucas 11.13).

No quarto Evangelho, o ensino de Jesus quanto à obra do Espírito é mais preciso. ‘Deus é Espirito’, com respeito à Sua natureza. A não ser que o homem novamente nasça ‘da água e do Espírito’, ele não pode entrar no reino de Deus (3.5).

O Espírito é dado sem medida ao Messias (3.34). Referindo-se Jesus às promessas messiânicas (Isaías 44.3 – J12.28) falou do ‘Espírito que haviam de receber os que nele cressem’ (7.39) – porquanto o Espirito, na Sua manifestação e operação, ainda não tinha sido dado (7.39) – mas, na qualidade de Consolador, Paracleto, Advogado (14.16,26 – Isaías 15.26Isaías 16.7João 2.1) – Espírito da verdade, por quem a verdade se expressa e é trazida ao homem (15.26 – João 16.13).

Ele havia de ser dado aos crentes pelo Pai (14.16), habitando neles e glorificando o Filho (16.14), pelo conhecimento que Dele dava. Em 1 João 3.24 a 4.13 esta presença íntima do Espírito é um dos dois sinais ou característicos da união com Cristo – e o Espírito, que é a verdade, dá testemunho do Filho (1 João 5.6).

Nos Atos, a manifestação do Espírito é feita no dia de Pentecoste, e o fato acha-se identificado com o que foi anunciado pelo profeta ( – 1 João 4 1 – 1 João 18) – Ananias e Safira ‘tentam’ o Espírito, pondo à prova a Sua presença na igreja (5.9) – o Espírito expressamente dirige a ação dos apóstolos e evangelistas (1.2 – 1 João 8.29, 39 – 1 João 10.19 – 1 João 11.12 – Isaías 16.7 – 1 João 21.4) – e inspira Ágabo (11.28).

Nas epístolas de Paulo a presença do Espírito Santo está claramente determinada (Romanos 8.111 Coríntios 3.161 Coríntios 6.17 a 19). É Ele o autor da fé (1 Coríntios 12.3 – cp. Com 2 Coríntios 4.13) – no Espírito vivem os homens (Gálatas 5.25), por Ele são ajudados nas suas fraquezas (Romanos 8.2 – Romanos 27), fortalecidos por Ele (Efésios 3.16), recebendo Dele dons espirituais (1 Coríntios 12), e produzindo frutos como resultado da Sua presença (Gálatas 5.22).

Por meio Dele há a ressurreição dos que crêem em Cristo (Romanos 8.11). Pedro (1 Pe 1.2) escreve acerca da santificação, como sendo obra do Espírito Santo. No Apocalipse se vê que S. João conscientemente é influenciado pelo Espirito (1.10 – Pe 4.2) – e a mensagem dirigida às sete igrejas é a mensagem do Espírito (2. – Pe 11 1 – Pe 29).

O Espírito Santo é uma pessoa da SS. Trindade, e não simplesmente um método de ação divina (vejam-se especialmente as palavras de Jesus Cristo: João 14.1João 17Isaías 15.26João 16.7, 8 – cp com Mateus 12.3 – Mateus 32 – Atos 5Atos 9Atos 7.51 – Rm S.14 – 1 Coríntios 2.10Hebreus 3.1, etc.).

O Espírito procede do Pai e do Filho (Gálatas 4.61 Pedro 1.11, etc). É Ele tanto ‘o Espírito de Deus’ como ‘o Espírito de Cristo’ (Romanos 8.9). E assim nos mistérios da redenção, e de uma nova vida, na regeneração, na santificação, e na união com Cristo, é uma Pessoa que, na Sua operação, como auxiliador do homem, é ainda Aquele que pode ser negado, entristecido, e apagado (Efésios 4.301 Tessalonicenses 5.19). (*veja Trindade. ).

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Artigos Relacionados