Ana na Bíblia. Significado e Versículos sobre Ana

3 min de leitura

Aquela que é cheia de compaixão, graça e clemência.

Ana – Dicionário Bíblico de Easton

Ana

Graça, uma viúva idosa, filha de Fanuel. Ela era uma “profetisa”, como Miriam, Débora e Hulda (2 Crônicas 34.22). Após sete anos de vida conjugal, seu marido morreu, e durante sua longa viuvez ela frequentava diariamente os serviços do templo.

Quando tinha oitenta e quatro anos, entrou no templo no momento em que o idoso Simeão proferiu suas memoráveis palavras de louvor e agradecimento a Deus por ter cumprido sua antiga promessa ao enviar seu Filho ao mundo (Lucas 2.36 Lucas 2.37).

Easton, Matthew George. “Entrada para Anna”. “Dicionário Bíblico de Easton”.

Ana – Dicionário de Nomes Bíblicos de Hitchcock

Ana

graciosa; aquela que dá

Hitchcock, Roswell D. “Entrada para ‘Anna’”. “Um Dicionário Interpretativo de Nomes Próprios da Escritura”. Nova York, N.Y. – 36 Lucas 1869

Ana – Dicionário Bíblico de Smith

Ana

(Graça), uma “profetisa” em Jerusalém na época da Apresentação de nosso Senhor no templo. (Lucas 2.36) Ela era da tribo de Aser.

Smith, William, Dr. “Entrada para ‘Anna’”. “Dicionário Bíblico de Smith”. 1901.

Ana – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Ana

Ana (Westcott-Hort, Hanna); equivalente em hebraico channah, significando “graça” 1 Samuel 1.2):

(1) A esposa de Tobit (Tobit 1:9).

(2) Uma “profetisa”, filha de Fanuel, da tribo de Aser, e assim uma galileia, vivendo em Jerusalém no tempo do nascimento de Jesus (Lucas 2.36-38). “De grande idade”, ela deve ter sido consideravelmente mais de 100 anos, tendo sido viúva por 84 anos após um curto casamento de sete.Excepcionalmente devota e dotada em espírito, ela adorava tão constantemente “com jejuns e súplicas noite e dia”, que se diz que “não se afastava do templo”. Alguns supuseram erroneamente que isso significava residência permanente no templo.O fato de sua linhagem ser registrada indica a distinção de sua família. A tradição diz que a tribo de Aser era notada pela beleza e talento de suas mulheres, que por esses dons, eram qualificadas para casamentos reais e de alto sacerdócio.Embora a tribo de Aser não estivesse entre as tribos que retornaram do exílio babilônico para a Palestina, muitas de suas principais famílias devem ter feito isso como no caso da profetisa. O período de guerra e opressão nacional, pelo qual a vida precoce de Ana passou, criou nela, como no idoso Simeão, um intenso anseio pela “redenção” prometida através do Messias.Essa esperança de libertação nacional a sustentou por mais de quatro décadas de espera paciente. No nascimento de Jesus, sua fé foi abundantemente recompensada, e ela se tornou uma testemunha grata e incessante “para todos aqueles que esperavam pela redenção de Jerusalém”, que o dia de sua libertação espiritual havia chegado.

LITERATURA.

Veja Edersheim, Vida e Tempos de Jesus, I – Lucas 200.201, Gelkie, Vida e Palavras de Cristo, I – Lucas 133.34.

Dwight M. Pratt

Orr, James, M.A., D.D. Editor Geral. “Entrada para ‘ANNA’”. “Enciclopédia Bíblica Padrão Internacional”. 1915.

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários