Início Dicionário A Ahitofel

Ahitofel na Bíblia. Significado e Versículos sobre Ahitofel

5 min de leitura

Ahitofel

Irmão de insipidez ou impiedade, um homem muito renomado por sua sagacidade entre os judeus. Na época da revolta de Absalão, ele desertou Davi (Salmos 41Salmos 55.12-14) e apoiou a causa de Absalão (2 Samuel 15.12).

Davi enviou seu velho amigo Husai de volta a Absalão, para que pudesse contrariar o conselho de Ahitofel (2 Samuel 15.31-37). Esse objetivo foi alcançado até certo ponto, de modo que Ahitofel viu que não tinha mais influência e, portanto, deixou imediatamente o acampamento de Absalão e retornou a Giló, seu local de nascimento, onde, após organizar seus assuntos mundanos, enforcou-se e foi enterrado no sepulcro de seus pais (2 Samuel 17.1-23).

Ele era o tipo de Judas (Salmos 41.9).

Easton, Matthew George. “Entrada para Ahitofel”. “Dicionário Bíblico de Easton”.

Ahitofel – Dicionário de Nomes Bíblicos de Hitchcock

Aitofel

Irmão de ruína ou loucura

Hitchcock, Roswell D. “Entrada para ‘Aitofel’”. “Um Dicionário Interpretativo de Nomes Próprios da Escritura”. Nova York, N.Y. – Salmos 1869

Ahitofel – Dicionário Bíblico de Smith

Aitofel

(irmão da insensatez), natural de Giló, era um conselheiro privado de Davi, cuja sabedoria era altamente estimada, embora seu nome tivesse uma significação exatamente oposta. (2 Samuel 16.23) (1055-1023 a.C.) Ele era o avô de Bate-Seba.

Comparar com 2 Samuel 11.3 e 2 Samuel 23.34 Aitofel juntou-se à conspiração de Absalão contra Davi e o persuadiu a tomar posse do harém real, (2 Samuel 16.21) e recomendou uma perseguição imediata a Davi.

Seu conselho era sábio; mas Husai aconselhou de outra forma. Quando Aitofel viu que o conselho de Husai prevaleceu, ele desesperou-se pelo sucesso e, retornando à sua própria casa, “arrumou sua casa e enforcou-se”. (2 Samuel 17.1-23)

Smith, William, Dr. “Entrada para ‘Aitofel’”. “Dicionário da Bíblia de Smith”. 1901.

Ahitofel – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Aitofel

O verdadeiro líder da rebelião de Absalão contra Davi. Ele é descrito como “o conselheiro do rei”, em um contexto relacionado com eventos alguns dos quais são datados no quadragésimo ano de Davi (1 Crônicas 27.33,34; compare 1 Crônicas 26.31).

Sobre ele e sua parte na rebelião temos informações bastante completas (2 Samuel 15.12).

Alguns acreditam que ele era o avô de Bate-Seba, e valorizam muito isso ao formar suas opiniões sobre ele. As evidências sustentam essa visão? Na segunda metade da lista dos valentes de Davi, não entre os veteranos mais velhos com quem a lista começa, aparece “Eliã, filho de Aitofel, o gilonita” (2 Samuel 23.34), o nome correspondente na outra cópia da lista sendo “Aías, o pelonita” (1 Crônicas 11.36).

Supõe-se que este seja o mesmo Eliã que era pai de Bate-Seba (2 Samuel 11.3). Aparentemente, o Cronista testemunha (1 Crônicas 3.5) que a mãe de Salomão era “Bate-Sua, filha de Amiel”.

Bate-Sua pode facilmente ser uma variante de Bate-Seba, e os nomes Eliã e Amiel são compostos pelas mesmas partes, apenas em ordem inversa. Não é estranho que homens tenham inferido que o filho de Aitofel era o pai de Bate-Seba.

Mas a inferência realmente não é provável. O registro não dá a impressão de que Aitofel era um homem mais velho do que Davi. Os eventos registrados da vida de Davi após seu mau comportamento com Bate-Seba não podem ter ocupado menos de cerca de vinte anos; ou seja, ele não poderia estar na época com mais de cinquenta anos.

Que Aitofel tivesse então uma neta casada é menos provável do que houvesse em Israel dois Eliãs. Além disso, Aitofel não era o tipo de homem que conspiraria contra os interesses de sua neta e seu filho, por mais que ele possa, anteriormente, ter ressentido a conduta de Davi para com ela.

O motivo de Aitofel na rebelião era sem dúvida a ambição pelo poder pessoal, embora ele provavelmente compartilhasse com muitos de seus compatriotas a convicção de que era injusto afastar um filho mais velho elevando um filho mais novo ao trono.

Aitofel tem uma reputação de maravilhosa sagacidade prática (2 Samuel 16.23). Ele não mostrou isso ao se juntar à conspiração, mas está em evidência em sua gestão do assunto. Segundo o registro, os corações do povo, apesar de muito que tinham a reclamar, estavam todo o tempo com Davi.

A única chance de sucesso de Absalão era pelo método de surpresa e debandada. Deveria haver uma crise na qual todos se juntassem a Absalão porque todos pensavam que todos os outros haviam feito isso. Tal estado de sentimento público só poderia durar poucos dias; mas se, nesses poucos dias, Davi pudesse ser eliminado, Absalão poderia manter o trono em virtude de sua popularidade pessoal e na falta de um rival.

A primeira parte do programa foi realizada com maravilhoso sucesso; quando chegou a segunda parte, a sabedoria prática de Aitofel foi bloqueada pelo apelo astuto de Husai à vaidade pessoal de Absalão. Aitofel viu com absoluta clareza que Absalão havia sacrificado sua única oportunidade e cometeu suicídio para evitar participação na derrota vergonhosa que ele via que não poderia ser evitada.

Willis J. Beecher

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Artigos Relacionados