Início Dicionário A Aceldama

Aceldama na Bíblia. Significado e Versículos sobre Aceldama

3 min de leitura

Campo de sangue. Porção de terreno, em Jerusalém, comprado com as trinta peças de prata que Judas recebeu por ter entregado Jesus (Atos 1.19). O tradicional sítio chama-se hoje Hakk-ed-Dumon, e existe na extremidade oriental de um largo terraço, numa inclinação para o sul do vale de Hinom, não ficando longe do tanque de Siloé.

Aceldama – Dicionário Bíblico de Easton

Aceldama

O nome que os judeus deram na língua própria deles, ou seja, em aramaico, para o campo que foi comprado com o dinheiro que havia sido dado ao traidor do nosso Senhor. A palavra significa “campo de sangue”.

Anteriormente era chamado de “campo do oleiro” (Mateus 27.7; Mateus 27.8; Atos 1.19), e foi apropriado como local de sepultamento para estrangeiros. Ele se encontra em uma estreita plataforma nivelada no lado sul do vale de Hinom.

Seu nome moderno é Hak ed-damm.

Easton, Matthew George. “Entrada para Aceldama”. “Dicionário Bíblico de Easton”.

Aceldama – Dicionário de Nomes Bíblicos de Hitchcock

Aceldama

Campo de sangue

Hitchcock, Roswell D. “Entrada para ‘Aceldama’”. “Um Dicionário Interpretativo de Nomes Próprios da Escritura”. Nova Iorque, N.Y. – Atos 1869

Aceldama – Dicionário Bíblico de Smith

Aceldama

(O campo de sangue) (Aceldama na Versão Revista), o nome dado pelos judeus de Jerusalém a um campo próximo a Jerusalém comprado por Judas com o dinheiro que ele recebeu pela traição de Cristo, e assim chamado por causa de sua morte violenta ali. (Atos 1.19) O “campo de sangue” é agora mostrado na face íngreme sul do vale ou ravina de Hinom, “sudoeste da suposta piscina de Siloé”.

Smith, William, Dr. “Entrada para ‘Aceldama’”. “Dicionário Bíblico de Smith”. 1901.

Aceldama – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Aceldama

Um campo dito em Atos 1.19 ter sido comprado por Judas com as “trinta peças de prata”. Em Mateus 27.6,7 é narrado que os sacerdotes pegaram as peças de prata que Judas havia “jogado… no santuário” e “compraram com elas o campo do oleiro, para enterrar estrangeiros.

Por isso aquele campo foi chamado, O campo de sangue, até o dia de hoje.” Sem dúvida foi uma suposta conexão entre este campo do oleiro e a casa do oleiro (Jeremias 18.2) e o Vale do Filho de Hinom (Jeremias 19.2) que influenciou a seleção do atual local que, como o aramaico h-q-l-d-m-‘ (Dalman), é hoje conhecido como haqq-ed-dumm, “campo de sangue”.

A tradição, que parece remontar ao século IV, aponta para uma plataforma nivelada na encosta sul do Wady er Rababi (Vale de Hinom) pouco antes de se juntar ao Vale de Cedrom. Neste local há uma ruína muito notável (78 pés x 57 pés) que por muitos séculos foi usada como uma casa de ossos.

A terra aqui era reputada por ter a propriedade de consumir rapidamente corpos mortos. Tão grande era sua reputação que diz-se que grandes quantidades dela foram transportadas em 1215 AD para o Campo Santo em Pisa.

Quando este edifício estava inteiro, os corpos eram baixados para ele através de cinco aberturas no teto e então deixados para se desintegrarem, de modo que há alguns anos atrás havia muitos pés de ossos pelo chão.

Estes agora foram removidos. Um pouco a sudeste desta ruína está um novo mosteiro grego erguido nos últimos anos sobre os restos de um grande número de túmulos de cavernas; muitos dos ossos de “Akeldama” estão agora enterrados aqui.

E. W. G. Masterman

Orr, James, M.A., D.D. Editor Geral. “Entrada para ‘ACELDAMA’”. “Enciclopédia Bíblica Padrão Internacional”. 1915.

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários

Artigos Relacionados