Início Dicionário A Abismo

Abismo na Bíblia. Significado e Versículos sobre Abismo

5 min de leitura

Poço sem fundo que, no fim dos tempos, Satanás ficará banido por um tempo (Apocalipse 20.3). Os gregos empregavam a palavra em referência ao submundo dos espíritos; transmite a idéia de um lugar tão profundo que chega a ser insondável (Lucas 8.31).

Abismo – Dicionário Evangélico de Teologia Bíblica de Baker

Abismo

No nossos Bíblias em inglês, a palavra grega abyssos é transliterada como “abismo” (RSV “poço sem fundo”) em todas as instâncias exceto em Romanos 10.7, onde é traduzida como “o profundo”. Na Septuaginta, abyssos traduz Tehom quase exclusivamente, mas em raras instâncias ShuLam (Isa 44:27), MeshuLam (Job 41:22) e Racha (Job 36:16).

No Antigo Testamento, abyssos é invariavelmente descritivo das profundezas aquáticas da terra, sejam oceanos ou nascentes, em contraposição à terra (por exemplo, Salmos 77.1Salmos 78.15Salmos 106.9; Isaías 51.10; Amós 7.4), embora no Salmo 71:20, “as profundezas da terra” são faladas de uma maneira quase significando morte (no entanto, provavelmente significa não mais do que as profundezas dos problemas de alguém na terra).

Abyssos nunca traduz Sheol, então no Antigo Testamento nunca carrega a ideia do reino dos mortos ou da vida após a morte. Em Gênesis 1.2 a terra totalmente incoativa é chamada “o profundo”, sobre o qual o Espírito de Deus pairava.

Durante o período intertestamentário, a situação começou a mudar e o significado de abyssos ampliou para incluir a ideia de morte assim como o reino dos espíritos demoníacos (por exemplo, Jubileu 5: – Gênesis 1 Enoque 10: – Gênesis 11).

No Novo Testamento, a mudança é completa. Abyssos nunca é usado para se referir às águas da terra. Aqui, é usado de duas maneiras. Primeiro, em Romanos 10.7 Paulo usa especificamente para significar “o reino dos mortos”, baseando-se em Deuteronômio 30.12-14, mas não citando exatamente.

Ele contrasta “ascensão ao céu” com “descida ao abismo”, mas porque Cristo estava lá, o abismo não deve ser concebido como um reino maligno ou demoníaco. Segundo, Lucas (8.31) e João (Apocalipse 9.1– – Apocalipse 11.7Apocalipse 17.8; Apocalipse 20.1; Apocalipse 20.3) descrevem o abismo especificamente como o local de moradia de demônios e da besta e como um lugar de confinamento até o julgamento que está sob controle de Deus.

Em Lucas 8.31 os demônios imploram a Jesus para não enviá-los ao abismo, sabendo que eles não serão mais livres para causar estragos na terra. Aqui, abyssos é semelhante a tartarus em 2 Pedro 2.4, onde os anjos que pecaram estão confinados até o julgamento.

Na visão de João da quinta trombeta (Apocalipse 9.1-11), o poço que leva ao abismo é aberto, liberando a horda demoníaca de gafanhotos. Seu governante é “o anjo do abismo”, cujo nome é Destruição (Heb. Abaddon; Gr. Apollyon).

A besta que ascende do abismo (Apocalipse 11Apocalipse 17.8) apresenta um quadro complexo. Combinado, representa o anticristo, poder demoníaco, Roma (ou seja, poder político como suporte da prostituta) e mal supremo.

Esta besta será lançada viva no “lago de fogo ardente com enxofre” (Apocalipse 19.20). Satanás é acorrentado no abismo por mil anos (Apocalipse 20.1; Apocalipse 20.3), até que ele também seja lançado no lago de fogo (Apocalipse 20.10).

Walter A. Elwell

Elwell, Walter A. “Entrada para ‘Abismo’”. “Dicionário Evangélico de Teologia”. 1997.

Abismo – Enciclopédia Internacional da Bíblia Padrão

Abismo

Na língua grega clássica, a palavra é sempre um adjetivo e é usada

  1. literalmente, “muito profundo”, “sem fundo”;
  2. figuradamente, “insondável”, “ilimitado”. “Abismo” não ocorre na Versão King James, mas a Revised Version (Britânica e Americana) translitera abussos em cada caso. A Versão King James traduz o grego por “o profundo” em duas passagens (Lucas 8.31; Romanos 10.7).

    Em Apocalipse, a Versão King James traduz por “o poço do abismo” (Apocalipse 9.1,2,1Apocalipse 11.7Apocalipse 17.8Apocalipse 20.1,3). Na Septuaginta, abussos é a tradução da palavra hebraica tehom. De acordo com a cosmogonia semítica primitiva, acreditava-se que a terra repousava sobre um vasto corpo de água, que era a fonte de todas as fontes de água e rios (Gênesis 1.2; Deuteronômio 8.7; Salmos 24Salmos 136.6).

    Esse oceano subterrâneo é às vezes descrito como “a água debaixo da terra” (Êxodo 20.4; Deuteronômio 5.8). Segundo João 41.32, tehom é a morada do leviatã, no qual ele traça seu caminho espumoso e grisalho.

    A Septuaginta nunca usa abussos como uma tradução de sheol (= Sheol = Hades) e provavelmente tehom nunca significou a “morada dos mortos”, que era o significado ordinário de Sheol. Em Salmos 71.20, tehom é usado figurativamente e denota “muitos e graves problemas” pelos quais o salmista passou (compare com Jonas 2.5).

    Mas no Novo Testamento, a palavra abussos significa a “morada dos demônios”. Em Lucas 8.31, a Versão King James traduz “para o profundo” (Weymouth e The Twentieth Century New Testament = “para o poço do abismo”).

    Os demônios não desejam ser enviados para o lugar de punição antes do tempo destinado. Marcos simplesmente diz “fora do país” (Lucas 5.10). Em Romanos 10.7, a palavra é equivalente ao Hades, a morada dos mortos.

    Em Apocalipse (onde a Versão King James traduz invariavelmente por “o poço do abismo”), abussos denota a morada dos espíritos malignos, mas não o local de punição final; portanto, deve ser distinguido do “lago de fogo e enxofre” onde a besta e o falso profeta estão e para onde o Diabo finalmente será lançado (Apocalipse 19.2Apocalipse 20.10).

Thomas Lewis

Orr, James, M.A., D.D. Editor Geral. “Entrada para ‘ABYSS’”. “Enciclopédia Bíblica Internacional Padrão”. 1915.

Faça um comentário

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos comentários